Imagem 720*435
DATA
28/10/2016 13:18:33
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Batalha lança projeto de combate à obesidade infantil

A Câmara Municipal da Batalha, em articulação com o Agrupamento de Escolas do concelho, vai lançar o projeto "Batalha Saudável" com o objetivo de combater a obesidade infantil.

Dirigido a todos os alunos do pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico, o projeto, que se inicia na quarta-feira, visa proceder à classificação do estado nutricional desta população, bem como dotar as crianças de conhecimentos sobre a importância de uma alimentação saudável, adianta o Município em nota de imprensa.

Numa primeira fase, será efetuada a avaliação da composição corporal das crianças, através da medição do peso, altura e cálculo do IMC (Índice de Massa Corporal), com base nas Curvas de Crescimento da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Depois da obtenção destes dados, os alunos serão alvo de diversas abordagens, "no âmbito de temáticas consideradas essenciais, designadamente o tipo de lanches consumidos nas escolas, a importância do pequeno-almoço e o consumo de fruta".

O projeto contempla, em paralelo, sessões dirigidas aos pais e aos educadores, bem como a distribuição de diverso material informativo.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Batista dos Santos, a implementação deste projeto, dirigido a mais de 750 alunos, "afigura-se como bastante importante, no âmbito da prevenção da obesidade infantil".

O autarca acrescenta que os dados oficiais disponíveis sobre esta matéria "atestam que é urgente a implementação de estratégias e programas capazes de suscitar nas crianças a importância de uma alimentação saudável".

You've got mail! - quando um aumento da acessibilidade não significa melhoria da acessibilidade
Editorial | António Luz Pereira, Direção da APMGF
You've got mail! - quando um aumento da acessibilidade não significa melhoria da acessibilidade

No ano de 2021, foram realizadas 36 milhões de consultas médicas nos cuidados de saúde primários, mais 10,7% do que em 2020 e mais 14,2% do que em 2019. Ou seja, aproximadamente, a cada segundo foi realizada uma consulta médica.