Displaying items by tag: Manuel Rodrigues Pereira

Representante do Grupo de Estudos de Diabetologia da APMGF, Manuel Rodrigues Pereira considera que as autoridades de saúde devem reconsiderar a limitação da comparticipação dos agonistas do recetor do GLP-1 a determinados grupos de doentes, segundo o critério do índice de massa corporal. Em declarações  ao Jornal Médico, o especialista de Medicina Geral e Familiar reitera o acesso à comparticipação a todos os doentes que beneficiem desta terapêutica, perante a forte evidência científica e recomendações internacionais. Sobretudo, tendo em conta as repercussões ao nível da saúde cardiovascular. 

O Grupo de Estudos de Diabetologia da APMGF é umas entidades subscritoras da posição acerca da limitação da comparticipação dos medicamentos para o tratamento da diabetes, tomada em conjunto com a Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, a Sociedade Portuguesa de Diabetologia e o Núcleo de Estudos da Diabetes Mellitus da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna. 

Published in Entrevistas

Manuel Rodrigues Pereira, do Grupo de Estudos de Diabetologia da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), fez parte do painel do 4.º Congresso Nacional da APDP, como dinamizador de duas sessões: “Diabetes e cancro – causa ou consequência?” e “Diabetes e COVID-19”, realizadas em parceria com o Grupo da APMGF. Ao assegurar que o principal objetivo será “fornecer mais qualidade de vida” às pessoas com diabetes, o especialista de MGF considera que todas as parcerias com associações e sociedades médicas da área da diabetes são necessárias para uma melhor cooperação entre os profissionais envolvidos nos cuidados à pessoa com diabetes. Assista à entrevista na integra.

Published in Entrevistas
É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários
Editorial | Jornal Médico
É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários

Neste momento os CSP encontram-se sobrecarregados de processos burocráticos inúteis, duplicados, desnecessários, que comprometem a relação médico-doente e que retiram tempo para a atividade assistencial.