Displaying items by tag: Medicina Interna

A Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI), com o objetivo de estimular a investigação nesta especialidade, acaba de abrir as candidaturas à Bolsa de Investigação SPMI no valor de 10 mil euros. As candidaturas podem ser feitas até 31 de março. 

Published in Atualidade

O Núcleo de Estudos de Formação em Medicina Interna (NEForMI) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) vai realizar, de 12 a 14 de setembro, em Beja, a 10ª edição da Escola de Verão de Medicina Interna (EVERMI). Esta é uma iniciativa dirigida a internos da formação específica desta especialidade médica.

Published in Atualidade
Tagged under

O 25º Congresso Nacional de Medicina Interna organizou uma sessão centrada no tema da produção da Medicina Interna em Portugal. Luís Campos, internista com mais de 40 anos de experiência e membro da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, será o especialista responsável por presidir esta sessão.

Published in Atualidade

A Sociedade Portuguesa de Medicina Interna vai realizar o 25º Congresso Nacional de Medicina Interna de 23 a 26 de maio de 2019, no Centro de Congressos do Algarve, em Vilamoura.

Published in Atualidade
Tagged under

A Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) está a promover, até ao dia 15 de abril, a atribuição de três prémios para propinas de doutoramento e uma bolsa de investigação para especialistas e internos de Medicina Interna.

Published in Atualidade
Tagged under

O 24.º Congresso Nacional de Medicina Interna (MI) ficou marcado pela discussão de temáticas como o envolvimento do internista na gestão hospitalar, as inovações em saúde e a preocupação com a questão social.

Published in Atualidade

Jovens Médicos 1
O gabinete do ministro da Saúde informa, em comunicado, que, esta semana, mais de 3.500 médicos distribuídos por dezenas de unidades dos Cuidados de Saúde Primários e de Hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) iniciam a sua formação profissional .

Ainda de acordo com o documento, este grupo compreende 2.082 internos do ano comum que, após a conclusão do Mestrado Integrado em Medicina, iniciam uma prática clínica efetiva. Ao mesmo tempo 1.569 jovens médicos iniciam a sua formação específica no âmbito de mais de 40 especialidades.

Este ano as especialidades mais preenchidas foram a de Medicina Geral e Familiar, com 473 internos, seguida da Medicina Interna, com 201. "Correspondendo às necessidades prioritárias do país tendo em vista uma gestão estratégica de recursos humanos", lê-se na nota de imprensa.

"Este processo sinaliza a importância da aposta na formação médica com vista à criação de condições de recuperação sustentada do SNS, em termos de resposta e de qualidade assistencial diferenciada", advoga a tutela.

Published in Mundo

calendário

Data: De 30 a 31 de outubro

Local: Oásis Plaza Hotel, Figueira da Foz

A 22ª edição da reunião Nacional do Núcleo de Medicina Interna dos Hospitais Distritais (NMIHD), organizada pelo Serviço de Medicina do Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE, irá decorrer nos dias 30 e 31 de Outubro de 2015, no Oásis Plaza Hotel da Figueira da Foz.

Trata-se de uma reunião médica com particular importância para a Medicina Interna, o que muito se traduz pelo elevado número de participantes que a reunião tem vindo a captar. Abordam-se temas da atualidade científica e este ano o programa versa sobre o Pé Diabético, o Síndrome Mielodisplásica, a Nutrição, a Anti-coagulação oral e a Infeção Urinária no Idoso.

Sendo a formação médica uma preocupação constante deste Núcleo, prevê-se a realização de cursos pré-congresso e de um espaço destinado à apresentação de comunicações livres e posteres.

Mais informação em http://www.nmedicinainternahd.com/index.php?pagina=pgxxi

Published in Agenda (expirada)
Tagged under
Pág. 2 de 3
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.