Displaying items by tag: contratação médica

quinta-feira, 19 fevereiro 2015 15:59

Centro Hospitalar do Baixo Vouga contrata mais médicos

Hospital de Estarreja

O Centro Hospitalar do Baixo Vouga aguarda autorização para contratar sete técnicos de diagnóstico e terapêutica e tem abertas 13 vagas para médicos, “a preencher a curto prazo”, revela a administração, no “Infomail” de Fevereiro.

Sob o título “CHBV contrata mais recursos humanos”, aquele documento anuncia que em Março vai contar com mais quatro médicos, com contrato individual de trabalho, e dá conta de que, entre 2014 e o início de 2015, foram contratados 69 enfermeiros, 53 assistentes operacionais e 10 médicos, igualmente com contratos individuais de trabalho.

Ainda segundo o “Infomail” da administração hospitalar, o Internato Médico do Centro Hospitalar do Baixo Vouga recebeu um novo grupo de 40 médicos internos, entre internos de especialidade e internos do ano comum.

A insuficiência de recursos humanos tem sido apontada como um dos graves problemas do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, onde temporariamente alguns serviços têm sido condicionados devido a situações de baixa e de marcação de gozo de férias.

A situação, sentida com maior visibilidade no Hospital de Aveiro, chegou mesmo a ser comentada pelo bastonário da Ordem dos Médicos, que afirmou existir o risco de serem cometidos erros por os profissionais estarem a trabalhar “para além dos limites”.

O Centro Hospitalar do Baixo Vouga compreende os pólos de Aveiro, Águeda e Estarreja.

Published in Mundo

medicos

O Governo dos Açores autorizou a contratação de até 20 médicos aposentados durante este ano para o Serviço Regional de Saúde de modo a dar resposta à carência de médicos no arquipélago, segundo um despacho publicado ontem.

“Em 2015 podem ser contratados até 20 médicos aposentados pelos serviços integrados no Serviço Regional de Saúde, observados os procedimentos constantes do Decreto-Lei n.º 89/2010, de 21 de Julho”, adianta o despacho da vice-presidência do Governo, Emprego e Competitividade Empresarial e secretaria regional da Saúde, publicado em Jornal Oficial.

Segundo o executivo açoriano, esta contratação visa “dar resposta à carência de médicos que se verifica em Portugal, e em particular, na Região Autónoma dos Açores, e para, assim, assegurar a manutenção dos cuidados de saúde a todos os cidadãos".

Para tal, o Decreto-Lei n.º 89/2010, de 21 de Julho, veio "estabelecer um regime transitório de exercício de funções públicas por médicos aposentados, a vigorar até 31 de Julho de 2015, na sequência da prorrogação operada pelo Decreto-Lei n.º 94/2013, de 18 de Julho".

Assim, prevê que, "mediante proposta da instituição onde as funções devam ser exercidas ou o trabalho deva ser prestado, e após autorização do membro do Governo responsável pela área da saúde, os médicos aposentados possam continuar a exercer funções".

Published in Mundo
quarta-feira, 11 fevereiro 2015 16:00

Bragança abre vagas para oito médicos especialistas

ulsnordeste

A Unidade Local de Saúde (ULS) Nordeste anunciou hoje que abriu mais um concurso para reforçar o quadro clínico com oito médicos especialistas, depois de nos últimos anos ter disponibilizado 60 vagas que ficaram praticamente desertas.

O anúncio do concurso foi publicado, na terça-feira, em Diário da República, e os interessados têm 15 dias para se candidatar às vagas em Anestesiologia, Cardiologia, Gastrenterologia, Ginecologia/Obstetrícia, Oftalmologia, Psiquiatria, Psiquiatria da Infância e da Adolescência e Radiologia.

Os lugares são para a categoria de assistente de carreira médica, mediante a celebração de contrato individual de trabalho por tempo indeterminado.

A ULS Nordeste manifestou hoje, em comunicado, a expectativa de que “este concurso venha a resultar no reforço do seu quadro clínico e na consequente melhoria dos cuidados assistenciais prestados aos utentes”.

A falta de médicos especialistas sempre foi um dos males da saúde nesta região e que obriga os utentes a percorrer longas e dispendiosas distâncias ao Porto ou a Vila Real.

Nos últimos três anos, a ULS Nordeste abriu vários concursos para recrutar especialistas, mas conseguiu apenas preencher “menos de dez” das quase 60 vagas disponíveis, segundo dados da administração.

Os responsáveis pela saúde na região têm colmatado esta “dificuldade” em contratar e fixar médicos com parcerias como a celebrada com o Centro Oncológico de Vila Real, que acabou com as deslocações da maior parte dos doentes da região ao Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto.

A equipa do Centro Oncológico de Vila Real passou a deslocar-se a Macedo de Cavaleiros para atender e tratar os doentes do distrito de Bragança.

Published in Mundo

young medical doctor and staff in hospital

A Administração Regional de Saúde do Norte (ARS/Norte) anunciou hoje a abertura de um concurso para o recrutamento de 44 médicos de diversas especialidades para preenchimento de vagas em diferentes hospitais da região.

Este concurso, publicitado hoje em Diário da República, encontra-se aberto pelo prazo de 15 dias.

No Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro serão preenchidas vagas nas especialidades de Anatomia Patológica (1), Anestesiologia (2), Cirurgia Maxilo-Facial (1), Cirurgia Plástica Reconstrutiva e Estética (1), Gastrenterologia (1), Ginecologia/obstetrícia (1), Medicina Interna (1), Neurorradiologia (1), Otorrinolaringologia (1), Pneumologia (1), Psiquiatria (1), Psiquiatria da Infância e da Adolescência (1), Radiologia (1) e Reumatologia (1).

O Centro Hospitalar do Alto Ave vai admitir especialistas em Anatomia Patológica (1), Dermatovenereologia (1), Medicina Interna (1) e Oftalmologia (2).

Ao Centro Hospitalar da Póvoa de Varzim/Vila do Conde destinam-se especialistas em Anestesiologia (1) e Medicina Interna (1) e para o Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga estão abertas vagas para Anestesiologia (1) e Medicina Interna (1).

No Hospital de Santa Maria Maior/Barcelos existem duas vagas em Anestesiologia, duas em Cirurgia Geral, uma em Imunohemoterapia, uma em Medicina Física e de Reabilitação, uma em Oftalmologia, uma em Ortopedia, uma em Psiquiatria e uma em Urologia.

Na Unidade Local de Saúde do Nordeste serão admitidos especialistas em Anestesiologia (1), Cardiologia (1), Gastrenterologia (1), Ginecologia/Obstetrícia (1) Oftalmologia (1), Psiquiatria (1), Psiquiatria da Infância e da Adolescência (1) e Radiologia (1).

Há ainda uma vaga de Radiologia a preencher no Centro Hospitalar Médio Ave e uma em Urologia no Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa.

Os médicos candidatos devem possuir o título de especialista na correspondente área profissional e ter, preferencialmente, um mínimo de um ano de experiência profissional.

De acordo com o aviso hoje publicado em Diário da República, os especialistas que venham a ser recrutados ficam obrigados a permanecer pelo período mínimo de três anos no posto de trabalho que venham a ocupar.

Published in Mundo

ACSS

A Administração Central do Sistema de Saúde revelou hoje, em nota enviada, que estão em curso ou serão abertos este ano concursos para a contratação de 1.925 médicos especialistas.

De acordo com a nota foram autorizados ainda em Junho de 2014 dois concursos para a contratação de 817 especialistas e a 26 de Janeiro um outro concurso acrescentou mais 275 vagas para clínicos.

Depois, refere o comunicado, serão abertos novos concursos após a conclusão das duas épocas de internato médico de 2015, o que irá permitir admitir mais 819 médicos.

Ao número de médicos especialistas a Administração Central do Sistema de Saúde acrescenta ainda outros 14 profissionais recrutados para a área da Medicina Interna cujo processo foi concluído no início de Janeiro.

“De sublinhar ainda que, a Lei do Orçamento de Estado para 2015 vem introduzir diversos mecanismos que facilitam a contratação de profissionais de saúde, assim como a sua fixação em zonas carenciadas, designadamente a possibilidade de atribuição de incentivos, mediante diploma em fase de aprovação”, conclui a nota.

Published in Mundo

macau_aeroporto

O governo de Macau confirmou hoje a contratação de 529 profissionais de saúde até ao final do ano, oriundos de territórios como Portugal, Taiwan e interior da China.

A proposta, que já foi aprovada pelo Secretário dos Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, inclui a contratação de pessoal médico no total de 386 profissionais e de 143 administrativos, detalhou o director dos Serviços de Saúde, Lei Chin Ion.

O pessoal médico abrange 14 médicos especialistas e 18 de clínica geral, 161 enfermeiros, 28 farmacêuticos, 88 técnicos – incluindo 43 técnicos de diagnóstico e terapeutas – e 77 auxiliares de saúde.

“Com certeza que o governo de Macau vai continuar a contratar médicos e enfermeiros de Portugal. Temos uma comunidade portuguesa muito grande e por isso vamos contratar mais”, afirmou Alexis Tam.

O Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura reiterou a importância de colmatar a falta de recursos humanos na saúde depois de ter alertado no início do mês para a necessidade de acelerar a contratação de profissionais de saúde.

O processo de contratação passará por 50 concursos públicos a realizar ao longo do ano, dos quais 18 já estão em curso.

A informação foi avançada durante a apresentação de novas medidas para reduzir o tempo de espera para atendimento nos serviços de saúde em Macau.

As novas medidas incluem a atribuição de subsídios para atendimento no sector privado para alguns grupos populacionais, os quais podem ser usados por um período de 48 horas.

Assim, a partir de hoje passa a ser atribuído um subsídio de 230 patacas (cerca de 25 euros) para os utentes já abrangidos por cuidados de saúde gratuitos no sector público que se dirijam às urgências no hospital privado Kiang Wu. Já as consultas externas passam a ser subsidiadas em 110 patacas (cerca de 12 euros) em várias clínicas e centros médicos.

Até à data estavam abrangidos para cuidados de saúde gratuitos no serviço público indivíduos com idade igual ou superior a 65 anos, crianças e estudantes, grávidas, deficientes e cidadãos carenciados. Com as novas medidas de triagem passam também a ter direito aos novos subsídios os funcionários públicos e seus familiares, docentes e trabalhadores das escolas e portadores do cartão de acesso a cuidados de saúde emitido pelo hospital Público Centro Hospitalar Centro São Januário.

Outra medida anunciada hoje foi a implementação de uma aplicação para telemóvel para consultar as listas de espera em tempo real das diversas instituições médicas integradas na rede.

Published in Mundo

medicos1

A Administração Central do Sistema de Saúde, I.P. informou que foram publicados em Diário da República os Despachos conjuntos dos Ministérios da Saúde e das Finanças n.º 800-A/2015 e 800-B/2015, de 26 de Janeiro, que autorizam a abertura de procedimentos de recrutamento de 275 médicos especialistas nas áreas hospitalar e de saúde pública, a preencher pelos médicos que adquiriram o grau de especialista na 2ª época de 2014 e de 115 médicos especialistas em Medicina Geral e Familiar, ao qual poderão concorrer clínicos com ou sem vínculo ao SNS.

A obrigatoriedade de permanência mínima de três anos no posto de trabalho a ser preenchido será um dos aspectos a constar nos anúncios de abertura, mecanismo previsto ao abrigo do n.º 2 do artigo n.º 22 C do Estatuto do SNS, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 11/93, de 15 de Janeiro.

Reconhecendo o carácter central dos recursos humanos que integram o SNS, a abertura de procedimentos de recrutamento de 275 médicos especialistas nas áreas hospitalar e de saúde pública tem por objectivo suprir as necessidades de pessoal médico, através da autorização de procedimentos concursais e da criação de condições legais para melhorar a distribuição dos recursos existentes.

Os postos de trabalho para os médicos especialistas em Medicina Geral e Familiar serão distribuídos pelas cinco Administrações Regionais de Saúde, à luz do aviso que procederá à abertura do concurso.

Recorde-se que, pelo Despacho n.º 5017-A/2014, de 11 de Abril, foi aberto um concurso para o recrutamento de 200 médicos de família, distribuídos pelas cinco Administrações Regionais de Saúde e cuja lista provisória de ordenação final dos 85 candidatos foi aprovada a 17 de Outubro de 2014, aguardando-se a autorização para prosseguimento do concurso.

Atendendo ao facto de não ter sido possível preencher a totalidade das vagas, foi solicitada autorização ao Ministério das Finanças para o desenvolvimento de novo procedimento concursal com vista ao preenchimento do número remanescente de postos de trabalho (115) previamente autorizados.

Após a publicação destes despachos em Diário da República, os próximos passos passarão pela identificação de necessidades prioritárias por instituição de saúde e pela abertura dos procedimentos de recrutamento.

Published in Mundo

medicos

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) criticou hoje o facto de o concurso lançado em 2014 para a contratação de médicos de família continuar suspenso e exigiu uma solução "urgente".

"O concurso para a contratação de médicos de família", lançado em Abril de 2014 pelo Ministério da Saúde, "está congelado e suspenso", disse à agência Lusa o presidente da SRCOM, Carlos Cortes, afirmando que já se está "a aguardar há demasiado tempo" para se resolver uma situação que é "urgente".

O concurso previa a contratação de 200 médicos de família, 20 dos quais para a zona da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), que poderia representar, segundo estimativas da SRCOM, "36 mil utentes com médico de família".

Carlos Cortes realçou que as 20 vagas para a região Centro permitiriam reforçar "zonas muito deficitárias, principalmente nas áreas do interior" da região, frisando ainda que, ao todo, seriam necessários 75 médicos de família para "fazer face aos 130 mil utentes que estão actualmente desprotegidos".

"A ideia com que nós ficamos é que há sempre anúncios espectaculares de contratações, mas depois não acontece nada", sublinhou, referindo que os problemas no Serviço Nacional de Saúde "não se resolvem com anúncios mediáticos, mas sim com decisões consequentes".

Para o presidente da SRCOM, os problemas que se observam nas urgências hospitalares resolvem-se com "um reforço do atendimento dos cuidados de saúde primários".

"O Ministério da Saúde investe em anúncios e não no Serviço Nacional de Saúde", que "não dá a resposta que deveria dar", por "falta de recursos humanos e materiais", observou.

De acordo com a SRCOM, o concurso prevê a contratação de médicos para o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Cova da Beira (3), ACES do Pinhal Litoral (4), ACES Pinhal Interior (2), ACES Baixo Vouga (4), ACES Dão Lafões (5), ACES Baixo Mondego (2).

A Administração Central do Sistema de Saúde informou no seu site, na terça-feira, que o recrutamento dos 200 médicos de família encontra-se a "aguardar por autorização do Ministério das Finanças para a sua conclusão, dado terem decorrido mais de seis meses após a abertura deste procedimento concursal".

Published in Mundo
Pág. 6 de 8
Crónicas de uma pandemia anunciada
Editorial | Jornal Médico
Crónicas de uma pandemia anunciada

Era 11 de março de 2020, quando a Organização Mundial de Saúde declarou o estado de Pandemia por COVID-19 e a organização dos serviços saúde, como conhecíamos até então, mudou. Reorganizaram-se serviços, redefiniram-se prioridades, com um fim comum: combater o SARS-CoV-2 e evitar o colapso do Serviço Nacional de Saúde, que, sem pandemia, já vivia em constante sobrecarga.

Mais lidas