Jornal Médico Grande Público

José Agostinho Santos - Os signos do ZoDÍMaco
DATA
31/05/2012 09:33:28
AUTOR
Jornal Médico
José Agostinho Santos - Os signos do ZoDÍMaco

A maior parte de nós teria que recuar bem atrás na nossa infância para recuperar o dia em que ouviu falar, pela primeira vez, dos signos do Zodíaco...

 

A maior parte de nós teria que recuar bem atrás na nossa infância para recuperar o dia em que ouviu falar, pela primeira vez, dos signos do Zodíaco. Anos passaram e, para alguns de nós, a percepção desta temática permanece tal como quando éramos crianças: ainda na penumbra do incompreensível e do longínquo. Porém, não deixa de ser curioso este pedaço da Astrologia que tipifica (atrevo-me a usar o verbo "tipificar"!) os nativos de certos períodos do ano. Independentemente das crenças de cada um de nós, curioso é notar como, de facto, diferentes pessoas tendem a agrupar-se ao assumirem comportamentos semelhantes perante as situações mais vulgares do quotidiano. Se tal se deve ao alinhamento dos astros no dia do nascimento, pois nem todos acreditarão que sim. Eu arriscaria ir um pouco "mais além" (mas não "ir ao Além"!) e diria que, seres sociais que somos, encaixamo-nos em grupos de comportamentos, segundo um processo de aprendizagem consciente ou subconsciente, ao constatarmos sucessos e insucessos de determinadas atitudes desenvolvidas por nós próprios ou por outros. E como não existe nunca uma única fórmula de sucesso, existe sempre um grupo finito de posturas perante uma situação casual. Poderemos chamar "signos" a esse grupo finito e definido...ou então chamar-lhe qualquer outro nome...

Com a minha curta vida, já me fui apercebendo de que os "signos" estão patentes em diferentes classes e equipas na interacção social formal do dia-a-dia. Certamente que me insiro num certo signo numa mesa de casamento com pessoas desconhecidas e noutro signo durante um velório. O que me tem feito sorrir recentemente é a esta constatação pessoal de como os nossos mais ou menos próximos contactantes diários delegados de informação médica (os DIM) se inserem, quase sem falhar, em grupos de comportamento numa situação que constitui a conversa de poucos minutos com os profissionais de saúde, particularmente os médicos. Tomo a liberdade de me referir a esses grupos como os signos do ZoDIMaco. Vejamos...

Os DIM do signo Carneiro são, geralmente, discretos... Mas habitualmente, "aqueles que não têm marcação e que só passaram por cá para dar uma palavrinha". Tal como carneiros perdidos no meio do monte, vagueiam tranquilamente pela unidade de saúde, um tanto à deriva, tentando uma abordagem delicada e "em pés de lã" (ou a lã não viesse dos carneiros!) caso tenham a oportunidade.

Os DIM do signo Touro são, por outro lado, teimosos e tentam tudo para captar uns minutos do profissional de saúde mais acelerado e menos disponível: "mas é num instante!! Deixe-me só relembrar o meu produto e dizer-lhe duas coisinhas muito rápidas!!"... Decididos e com porte altivo nos corredores, levam tudo à frente numa atitude desafiadora, gerando conflitos algo frequentes com os outros signos.

 

Versão integral apenas disponível na edição impressa

 

 

Relatório Primavera: verdades e consequências
Editorial
Rui Nogueira
Relatório Primavera: verdades e consequências

“Ó Costa aguenta lá o SNS” foi o pedido de António Arnaut em maio do ano passado, poucos dias antes de nos deixar. Mas o estado da saúde em Portugal está mal ou bem ou vai indo? Está melhor ou pior? O SNS dá as respostas úteis às necessidades de saúde da população? O Relatório de Primavera ajuda a fazer interpretações fundamentadas.

news events box

Mais lidas