Inovação que transforma a vida dos doentes
DATA
03/10/2019 15:11:59
AUTOR
Paulo Teixeira
ETIQUETAS


Inovação que transforma a vida dos doentes

Em Portugal, desde 1955, a Pfizer assistiu à criação do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e teve a oportunidade de, ao longo destes últimos 40 anos, fazer parte de uma das suas maiores conquistas: melhorar a vida dos doentes portugueses e das suas famílias.

Na Pfizer, trazer medicamentos e vacinas inovadoras para o mercado é um motivo de grande orgulho e um marco único na vida dos 221 colaboradores, que diariamente trabalham para cumprir o propósito da companhia: “Breakthroughs that change patients’ lives – Inovação que transforma a vida dos doentes”. Estes medicamentos e estas vacinas inovadoras permitem o tratamento e a prevenção de doenças que afetam a vida dos doentes portugueses, em áreas de necessidades médicas não atendidas, como a artrite reumatoide, a paramiloidose, a fibrilhação auricular, diversos cancros (cancro da mama, cancro do pulmão, cancro do rim, leucemias, entre outros), doenças infeciosas, a colite ulcerosa e a prevenção da doença pneumocócica e meningocócica.

Nos últimos 40 anos, a esperança média de vida aumentou quase uma década, situando-se atualmente nos 80,8 anos, acima da média da União Europeia. De facto, foram os medicamentos inovadores um dos principais responsáveis por este aumento, ao permitir melhorar a qualidade de vida dos doentes, reduzir os sintomas e efeitos secundários e ao tornar as opções de tratamento mais convenientes. O estudo “O Valor do Medicamento em Portugal”, elaborado pela APIFARMA com a colaboração da McKinsey & Co., veio demonstrar que, desde 1990, os medicamentos inovadores foram responsáveis pelo acréscimo de 2 milhões de anos de vida saudável, evitando mais de 110 mil mortes.

Os números são surpreendentes e, na Pfizer, temos orgulho em contribuir para estes resultados. Queremos continuar ao lado do SNS e contribuir para melhorar a vida dos portugueses, continuando a inovar. Para isso, contamos atualmente com 101 projetos de investigação em curso, entre os quais 54 novas entidades moleculares, 44 novas indicações e três biossimilares, nas áreas da Oncologia, inflamação e Imunologia, dor, doenças raras, vacinas e anti-infecciosos.

Estamos a investir na Medicina de precisão em toda a nossa organização, partindo da nossa experiência em Oncologia para alargar estes benefícios a outras áreas, como doenças raras e Imunologia. É neste sentido que exploramos biomarcadores genéticos, fenotípicos e funcionais, para identificar populações-alvo que irão guiar as estratégias clínicas. Queremos tornar real a promessa da terapia génica, sobretudo para os milhões de doentes que vivem com doenças genéticas raras e que não encontram resposta no standard of care de hoje.

Iremos manter o compromisso ininterrupto de continuar a reconhecer a investigação feita ao mais alto nível em Portugal. Exemplo, desde 1956, são os Prémios Pfizer, a mais antiga distinção na investigação biomédica em Portugal e que este ano celebra o seu 63º aniversário. Até hoje, os Prémios Pfizer, em parceria com a Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa, foram atribuídos a cerca de 700 investigadores, tendo sido premiados mais de 225 trabalhos.  É difícil pensar num grande cientista em Portugal que não tenha sido distinguido com um Prémio Pfizer.

Parabéns SNS por estes 40 anos de sucesso. São este e tantos outros os números que nos fazem sentir um orgulho imenso de trabalhar num setor com um impacto tão positivo na vida dos doentes portugueses. É este orgulho que nos desafia a compreender a realidade, antecipar os desafios e responder aos reptos que o futuro nos coloca.

Serviço Nacional de Saúde – 40 Anos
Editorial | Jornal Médico
Serviço Nacional de Saúde – 40 Anos

Reler as origens do Serviço Nacional de Saúde ajuda a valorizar o presente e pode ser uma forma de aprender para investir no futuro com melhor fundamentação

Mais lidas