Siga o Coração contribui para conhecimento dos médicos sobre dislipidemia
DATA
02/06/2020 09:40:27
AUTOR
Bruno Fidalgo Dias, Medical Advisor CV, Cough, CNS at MSD
ETIQUETAS




Siga o Coração contribui para conhecimento dos médicos sobre dislipidemia

Siga o Coração. Este é o nome do curso de e-learning desenvolvido pela Academia Cardiovascular da Sociedade Portuguesa de Cardiologia em parceria com a MSD, que tem como objetivo contribuir para o conhecimento dos médicos em Portugal na área da dislipidemia.

4 milhões por ano. É este o número de mortes devido a doenças cardiovasculares na Europa, sendo a dislipidemia um dos principais fatores de risco de doença coronária. Estudos epidemiológicos mostraram, de forma consistente, que pessoas com estilos de vida mais saudáveis ​​e menos fatores de risco para doença coronária, particularmente aquelas com perfis lipídicos favoráveis, têm uma incidência reduzida de doença coronária. Assim, a prevenção e o manejo sensato da dislipidemia podem alterar acentuadamente a morbimortalidade cardiovascular.

Apesar de todo o conhecimento adquirido nesta área, continua a ser preocupante a ausência de um controlo adequado do perfil lipídico, sobretudo dos níveis de colesterol LDL. É o que nos dizem os resultados do estudo EUROASPIRE V realizado em 27 países, entre os quais está Portugal, que nos mostra, relativamente ao controlo do colesterol LDL, que apenas cerca de 31% dos doentes de muito alto risco, com evento cardiovascular prévio, medicados com anti-dislipidémico atingiram o valor de colesterol LDL de 70 mg/dL. Também o estudo transversal e observacional DISGEN-LIPID, publicado o ano passado, com 24 centros em Portugal, revelou uma clara oportunidade para melhorar a prática clínica na prevenção das doenças cardiovasculares. O estudo envolveu doentes com idade inferior ou igual a 40 anos e dislipidemia, que estavam a fazer tratamento antidislipidémico havia, pelo menos, três meses e apresentavam perfil lipídico nos últimos seis meses, sendo que, dos 368 doentes analisados, 73% tinham um risco cardiovascular alto ou muito alto e mais de metade, homens e mulheres, não alcançou o alvo de LDL-C.

Em 2019, foram também publicadas as novas guidelines de dislipidemia da Sociedade Europeia de Cardiologia sob o mote “lower is better”. Estas guidelines trazem  novidades na estratificação do risco cardiovascular, alvos de LDL-C mais exigentes e algoritmos terapêuticos que, se cumpridos, permitirão tratar eficazmente a dislipidemia e atingir os alvos terapêuticos propostos. Não existe um limite inferior de colesterol LDL que se saiba que não é seguro. As guidelines pretendem assegurar que as terapêuticas disponíveis são usadas de modo efetivo para baixar os níveis dos que estão em maior risco, sendo recomendado que esses doentes atinjam o alvo correspondente de colesterol LDL e uma redução relativa no mínimo de 50%.  

Assim, sob coordenação da Prof. Dra. Cristina Gavina, Diretora da Academia Cardiovascular da Sociedade Portuguesa de Cardiologia, e com a participação de quatro especialistas, surge a 1.ª edição do e-learning de dislipidemia Siga o Coração. Com a duração aproximada de 1 hora e numa abordagem focada na prática clínica, está dividido em 4 módulos:

  • Risco cardiovascular e objetivos terapêuticos – O que dizem as novas recomendações de abordagem à dislipidemia ESC/EAS 2019? – com Prof. Dr. Ricardo Fontes-Carvalho, Professor na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e Cardiologista, no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho.
  • Opções terapêuticas para tratamento da dislipidemia – com Dr. Francisco Araújo, Coordenador de Medicina Interna no Hospital Beatriz Ângelo, Vice-Presidente da Sociedade Portuguesa de Aterosclerose e Coordenador do Núcleo de Estudos de Prevenção e Risco Vascular - SPMI.
  • Individualização da terapêutica para cada doente – com Dr. Carlos Aguiar, Consultor de Cardiologia, Coordenador da Unidade de Insuficiência Cardíaca Avançada e Coordenador da Transplantação Cardíaca, no Hospital Santa Cruz.
  • Intolerância às estatinas, adesão terapêutica & outros casos difíceis – com Dr. João Pedro Ferreira, Assistente de Medicina Geral e Familiar, na USF Côrtes D'Almeirim.

Tendo em conta o contexto atual, com um formato 100% on-line e com sessões on demand, este curso está pensado para suprir as necessidades formativas dos profissionais de saúde, auxiliando à prática clínica atualizada com aquilo que é a evidência científica e recomendações clínicas mais recentes. Para realizar o curso, basta aceder à plataforma Siga o Coração através do endereço www.sigaocoracao.pt.

DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas