Colesterol LDL: Um novo indicador no seguimento dos diabéticos?
DATA
28/09/2020 10:13:17
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Colesterol LDL: Um novo indicador no seguimento dos diabéticos?

A diabetes mellitus (DM) é uma entidade cada vez mais prevalente, em grande parte, devido ao envelhecimento da população e da otimização terapêutica à qual se assistiu nos últimos anos.

Estamos perante uma patologia que aumenta significativamente o risco cardiovascular do doente. Este passa automaticamente, só pelo facto de ser diabético, a uma categoria de risco cardiovascular moderado. Tendo outro fator de risco adicional, este passaria automaticamente a ser um doente de risco cardiovascular alto. Sabe-se ainda que as doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade nesta população, pelo que deve ser prioritário evitá-las. Por se tratar de um grupo de risco e pela necessidade de uma maior monitorização deste grupo vulnerável, foi criado um programa especialmente dedicado à DM que se encontra integrado no programa clínico utilizado em consulta, permitindo assim um melhor controlo da população de diabéticos.

Como se sabe, faz parte da lista dos indicadores dos cuidados de saúde primários a proporção de utentes com diabetes, com pelo menos duas hemoglobinas glicadas (HbA1c) no último ano, desde que abranjam os dois semestres. De facto, o decréscimo dos valores de HbA1c diminui as complicações microvasculares da DM. Porém, segundo as guidelines de DM da European Society of Cardiology (ESC), ainda não existe evidência robusta de que a descida dos valores de HbA1c tenha efeito a nível das complicações macrovasculares. Por outro lado, segundo estas mesmas guidelines, a redução do colesterol LDL neste mesmo grupo de doentes, traduz-se numa redução da mortalidade global e na redução de eventos cardiovasculares major.

Perante esta evidência é inevitável colocar a questão sobre a pertinência de introduzir o colesterol LDL como indicador de qualidade de seguimento nos doentes diabéticos nos cuidados de saúde primários, a par da HbA1c.

Com esta afirmação não se pretende retirar importância ao controlo dos níveis de HbA1c nesta população, já que a evidência é forte e bem clara quanto aos benefícios que este controlo traz ao doente diabético. Pretende-se sim, realçar a importância de controlar os valores de colesterol LDL neste caso, já que essa prática nos permite reduzir as complicações macrovasculares nestes doentes.

Considero que seria uma medida com boa relação custo-benefício já que, o acréscimo do custo de pedir valores analíticos adicionais, se traduziria provavelmente numa menor sobrecarga dos serviços de saúde.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas