Música na consulta

A música representa uma forma de arte que consiste na combinação de sons e ritmos organizados no tempo, podendo ser utilizada para diversos fins.

Na medicina, a sua aplicabilidade encontra-se demonstrada na redução da ansiedade, pelo que é frequentemente utilizada nas salas de espera dos consultórios médicos, criando um ambiente agradável e relaxante, que contribua para o bem-estar do doente enquanto aguarda pela consulta. Do mesmo modo, a música revelou ser eficaz como tranquilizante não farmacológico no préoperatório de intervenções cirúrgicas e durante procedimentos dentários, reduzindo a ansiedade apresentada por muitos doentes nestas circunstâncias. Além disso, está ainda comprovada a sua associação com o alívio da dor, a sua utilidade na terapia ocupacional de adultos e crianças com alterações cognitivas, podendo ainda associar-se à redução da pressão arterial e da frequência cardíaca pelo seu efeito relaxante.

Por outro lado, o uso de música de fundo na consulta é uma prática pouco estudada mas desenvolvida por alguns clínicos no sentido de proporcionar um ambiente agradável e calmo ou por preferência pessoal.

Com efeito, num estudo em que foram realizadas consultas de clínica geral ao som de música clássica, em volume baixo – que não interferisse na comunicação mas que fosse audível noutros momentos –, 83% dos doentes consideraram que a presença da música teve efeito relaxante e 67% concordaram que esta se revelou um elemento facilitador da consulta, contribuindo para a melhoria da mesma. Neste estudo, a perceção do médico sobre o efeito da música na consulta não foi avaliada.

Os artigos que estudaram o efeito da música na redução da ansiedade e da dor, descrevem que a música mais eficaz na produção destes benefícios apresenta um ritmo lento e estável, dinâmica e timbre suaves e volume baixo. Contudo, além da escassez de literatura sobre o uso de música de fundo na consulta, não existem estudos sobre as características musicais eventualmente mais eficazes ou benéficas neste contexto.

Assim, a música na consulta poderá constituir mais uma técnica de consulta, de entre as muitas desenvolvidas nos últimos anos, com o objetivo de obter o máximo benefício daquele momento quer para o médico quer para o doente. Para tal, devem ser realizados estudos sobre o tema, de forma a serem conhecidos os potenciais efeitos da música durante a consulta médica.

Referências bibliográficas:

• Kabler JJ. Background music in consultations. Br J Gen Pract. 1993 Apr; 43(369): 172

• Bradt J, Dileo C, Shim M. Music interventions for preoperative anxiety. Cochrane Database Syst Rev. 2013 Jun 6;(6):CD006908

• Bradt J, Dileo C, Potvin N. Music for stress and anxiety reduction in coronary heart disease patients. Cochrane Database Syst Rev. 2013 Dec 28;(12):CD006577

• Jones M. Music in the waiting room. Br J Gen Pract. 2009 Aug 1; 59(565): 613–614

• Biddiss E, Knibbe TJ, McPherson A. The effectiveness of interventions aimed at reducing anxiety in health care waiting spaces: a systematic review of randomized and nonrandomized trials. Anesth Analg. 2014 Aug;119(2):433-48

• Rafieyan R, Ries R. A Description of the Use of Music Therapy in Consultation-Liaison Psychiatry. Psychiatry (Edgmont). 2007 Jan; 4(1): 47–52

Crónicas de uma pandemia anunciada
Editorial | Jornal Médico
Crónicas de uma pandemia anunciada

Era 11 de março de 2020, quando a Organização Mundial de Saúde declarou o estado de Pandemia por COVID-19 e a organização dos serviços saúde, como conhecíamos até então, mudou. Reorganizaram-se serviços, redefiniram-se prioridades, com um fim comum: combater o SARS-CoV-2 e evitar o colapso do Serviço Nacional de Saúde, que, sem pandemia, já vivia em constante sobrecarga.

Mais lidas