Gestão da FPI: Conselhos alimentares
DATA
20/09/2021 09:42:56
AUTOR
Fátima Marques
ETIQUETAS



Gestão da FPI: Conselhos alimentares

Deve fazer uma alimentação variada, incluindo alimentos de todos os grupos, de forma a que seja nutricionalmente equilibrada. Recomenda-se que vigie o seu peso, semanalmente, monitorizando as perdas que possam ocorrer.

EVITE FICAR MUITAS HORAS SEM QUALQUER REFEIÇÃO

  • Não suprima refeições, mesmo que não tenha apetite;
  • Faça refeições menos volumosas e mais frequentes;
  • Distribua a sua alimentação por 6-7 momentos;
  • Se necessário, pode fracioná-las. Por exemplo: intervalo de uma hora entre a sopa e o prato principal

CONSELHOS ALIMENTARES

  • Tenha uma alimentação rica em vegetais e frutos;
  • Opte por confeções mais simples, como cozidos, grelhados e estufados com pouca gordura;
  • Evite fritos e alimentos muito processados;
  • Restrinja pratos que incluam produtos de charcutaria (como bacon ou enchidos) ou gorduras saturadas (como margarinas e natas);
  • Prefira gorduras vegetais, privilegiando o azeite para confecionar e temperar. Utilize-o, ainda assim, em pequena quantidade;
  • Use ervas aromáticas e especiarias para diminuir a quantidade de sal utilizada na confeção de refeições;
  • Restrinja o consumo de açúcar e de alimentos açucarados;
  • Aumente o consumo de água. Pode incluir infusões de ervas;
  • Em caso de perda de peso acentuada, poderá recorrer a suplementos nutricionais orais completos ou incompletos – que poderão ser indicados pelo seu nutricionista ou médico – adaptando-os à sua situação clínica.

ALIMENTOS RECOMENDADOS

  • Hortícolas: todos os legumes, em todas as refeições principais.
  • Frutas: 2 a 3 peças por dia. Pode incluí-las nas refeições, como sumos ou batidos de fruta.
  • Laticínios: leite, iogurte e queijo meio gordos. A consumir 2 a 3 porções diárias. Um copo de leite (cerca de 200ml) pode ser substituído por 1 iogurte ou 1 fatia de queijo ou meio queijo fresco meio gordo.
  • Farináceos: pão de mistura ou escuro (centeio, alfarroba, sementes, integral), tostas integrais, cereais de pequeno-almoço integrais, arroz, massa, batata branca, batata-doce, bolachas simples (ex. bolacha maria).
  • Carnes magras: ex. perna de borrego, alcatra, ganso ou pá de vaca, coelho, frango ou peru, lombo de porco magro.
  • Peixes:
  • Ovos: cozinhados sem adição de gordura. Consumir em substituição da carne e do peixe, 2 a 3 vezes por semana.
  • Frutos oleaginosos e frutos secos: amêndoas, nozes, figos, alperces e ameixas secas. A consumir em pequena quantidade (cerca de 30g), 2 a 3 vezes/semana.

ALIMENTAÇÃO NA DIARREIA, NÁUSEAS/VÓMITOS

Decorrente da terapêutica para tratamento da FPI, poderão surgir – ainda que temporariamente – náuseas/vómitos e/ou diarreia. Neste caso, a sua alimentação deverá ser adaptada:

  • Retire os laticínios, substituindo-os por infusões de ervas açucaradas ou bebidas vegetais;
  • Deve trocar o pão de mistura ou escuro: deverá ser substituído por branco e poderá ser torrado. Pode ainda optar por tostas de trigo;
  • Use cremes vegetais para barrar ou compotas sem cascas e grainhas;
  • Inclua fruta: maçã ou pera, cozidas ou assadas, sem casca. No caso de diarreia pode ainda ser incluída banana bem madura. Evite outras frutas cruas;
  • Gelatina pode ser uma opção de sobremesa ou snack;
  • Exclua todos os legumes, com exceção da cenoura;
  • Substitua as sopas habituais por creme de cenoura e batata ou canja de arroz;
  • O prato principal deverá ser constituído por confeções muito simples (cozidos, cozidos a vapor ou grelhados exclusivamente), evitando adição de gordura.

A hidratação é ainda mais importante nesta situação. Recomenda-se o aumento do consumo de líquidos sob a forma de: 

  • Água ou infusões de ervas;
  • Água de cozedura de maçã;
  • Ice tea sem açúcar.

ALIMENTOS A EVITAR

  • Carnes gordas (p. ex. entremeada, entrecosto, costeletas de porco), produtos de charcutaria e salsicharia;
  • Leite gordo, natas e queijos gordos ou curados;
  • Açúcar e alimentos açucarados (chocolates, rebuçados, bolos de pastelaria e bolachas com recheio);
  • Refrigerantes, bebidas açucaradas e alcoólicas.

Este artigo foi escrito no âmbito do guia “Gestão da FPI: Dicas úteis para o doente”, que pode ser consultado, AQUI.

Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?
Editorial | António Luz Pereira
Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?

Nestes últimos dias tem sido notícia o número de vagas que ficaram por preencher, o número de jovens Médicos de Família que não escolheram vaga e o número de utentes que vão permanecer sem médico de família. Há três grandes razões para isto acontecer e que carecem de correção urgente para conseguir cativar os jovens Médicos de Família.

Mais lidas