“Ir para fora, cá dentro”, no internato de Medicina Geral e Familiar

Somos internas de formação específica em Medicina Geral e Familiar, a frequentar atualmente o 2º ano de internato. O novo programa de formação de MGF de 2019 contempla a realização de um estágio de um mês numa unidade de cuidados primários com idoneidade reconhecida e servindo uma população com características diferentes da unidade de colocação. Nesse âmbito e com o objetivo de embarcarmos numa nova experiência, escolhemos o Centro de Saúde do Bom Jesus, Funchal (Madeira).

Escolhemos este local a pensar exatamente nas características da população, bem diferente daquela com que estamos habituadas a lidar, uma no litoral, outra no interior, decidimos descobrir o que o Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM) tem para oferecer aos seus utentes e aos profissionais que lá trabalham.

O centro de saúde em que ficamos colocadas, no centro do Funchal, tem uma grande afluência de utentes e serve populações muitos diversas. Recentemente remodelado o edifício dispõe de boas condições de trabalho para os médicos e de acessibilidade para os utentes. Conta com meios complementares de diagnóstico como radiografia e colheita de análises o que foi uma agradável surpresa. Os utentes dispõem também no mesmo edifício de consultas de nutrição, psicologia, saúde oral e saúde pública, vacinação internacional, serviços relacionados com promoção de saúde escolar, segurança social, o espaço conta ainda com uma biblioteca disponível para os profissionais.

Lidamos com uma população heterogénea, desde madeirenses, passando por uma grande população emigrante (sobretudo da Venezuela) e também alguns turistas que faziam uso da consulta aberta da unidade. Convivemos com novos hábitos, costumes e crenças; aprendemos a trabalhar com um programa informático diferente; conhecemos outro modelo de organização de centro de saúde; aprendemos com diferentes métodos de trabalho e tivemos ainda a oportunidade de realizar serviço de urgência periférica na Ribeira Brava (modalidade não disponível nas nossas unidades). Tivemos ainda a oportunidade de realizar visitas domiciliárias, frequentar o centro de vacinação (crucial nesta pandemia), atendimento urgente e aprender com os nossos orientadores diferentes métodos de trabalho nas diversas tipologias de consultas: saúde infantil, consulta do adolescente, saúde adultos, diabetes, hipertensão, saúde materna, planeamento familiar e menopausa. Em suma, adquirimos conhecimentos, estratégias e novas técnicas de comunicação e de gestão de trabalho, algumas aplicáveis nas nossas unidades.

Sair da nossa zona de conforto fez-nos também aprender a lidar com algumas limitações que outrora não tínhamos experienciado e dar mais valor ao que podemos oferecer no nosso local de trabalho.

Consideramos que este estágio foi uma mais-valia na nossa formação enquanto internas e foi uma oportunidade única para descobrirmos a ilha e as pessoas da Madeira!

#sejamestrelas
Editorial | António Luz Pereira
#sejamestrelas

Ciclicamente as capas dos jornais são preenchidas com o número de novos médicos. Por instantes todos prestam atenção aos números. Sim, para muitos são apenas números. Para nós, são colegas que se decidiram pelo compromisso com os utentes nas mais diversas áreas. Por isso, queremos deixar a todos, mas especialmente aqueles que abraçaram este ano a melhor especialidade do Mundo uma mensagem: “Sejam Estrelas”.

Mais lidas