quinta-feira, 17 dezembro 2020 12:50

A dor dos “doentes esquecidos” em era COVID-19

Nos tempos que correm fala-se frequentemente de doentes críticos e de cuidados intensivos e, nesta temática, penso que é do entendimento de todos que estes casos exigem cuidados prioritários. Contudo, eu sou médica de família e venho aqui falar-vos do meu universo – os doentes crónicos. Muitos destes indivíduos apresentam problemas graves, tais como a diabetes mellitus, doenças oncológicas, entre outros, e ficaram sem o meu acompanhamento, o que resultará, infelizmente, em sequelas graves.
Published in Opinião
A mudança necessária
Editorial | Jornal Médico
A mudança necessária

Os últimos meses foram vividos por todos nós num contexto absolutamente anormal e inusitado.

Atravessamos tempos difíceis, onde a nossa resistência é colocada à prova em cada dia, realidade que é ainda mais vincada no caso dos médicos e restantes profissionais de saúde. Neste âmbito, os médicos de família merecem certamente uma palavra de especial apreço e reconhecimento, dado o papel absolutamente preponderante que têm vindo a desempenhar no combate à pandemia Covid-19: a esmagadora maioria dos doentes e casos suspeitos está connosco e é seguida por nós.

Mais lidas