Displaying items by tag: HPV Clinical Cases

quarta-feira, 14 outubro 2020 12:12

HPV Clinical Cases: Cada vez mais juntos pelo HPV

Num momento em que o distanciamento é cada vez mais uma realidade, podermos reconectar-nos é cada vez mais importante, nomeadamente em torno de um tema como o papilomavírus humano (HPV).

O impacto do HPV na sociedade tem sido crescente, sendo responsável por quase  todos  os  casos de cancro do colo do útero, das lesões pré-invasivas e invasivas anogenitais, da cabeça e pescoço, assim como de condilomas anogenitais e da papilomatose respiratõria recorrente, enaltecendo a relevância da discussão em torno deste tema.

Published in Opinião
terça-feira, 09 junho 2020 12:09

HPV Clinical Cases: O porquê de um sucesso garantido

O projeto do HPV Clinical Cases é uma iniciativa feliz da MSD, que veio dar resposta a uma necessi­dade sentida e manifestada por vários profissionais dedicados à Doença a HPV: juntar na mesma mesa as várias visões sobre esta doença, estas doenças.

Published in Opinião

A segunda edição do HPV Clinical Cases, promovido pela MSD, tem como mote “Beyond Cervical Cancer”, e pretende recolher, selecionar e divulgar, junto da classe médica nacional, os “melhores casos clínicos” resultantes da infeção por Papilomavírus Humano (HPV). 

Published in Terapêutica

A MSD Portugal está promover o HPV Clinical Cases, uma iniciativa que tem como objetivo reunir, selecionar e divulgar junto da classe médica nacional os melhores casos clínicos de doenças comprovadamente associadas ao Papilomavírus Humano (HPV). Nesse sentido, todos os profissionais de saúde interessados deverão submeter os seus casos clínicos até dia 30 de junho na plataforma digital: www.hpvclinicalcases.pt

Published in Atualidade
Tagged under
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.