Displaying items by tag: Maria Teresa Cardoso

quarta-feira, 26 novembro 2014 14:12

Risco de sofrer AVC é superior nas mulheres

CardosoDraTeresa

A coordenadora do Núcleo de Estudos da Doença Vascular Cerebral (NEDVC), Maria Teresa Cardoso, afirmou hoje que a mulher tem “um risco de acidente vascular cerebral (AVC) superior ao do homem”, defendendo a implementação de “estratégias preventivas adequadas”.

Essas estratégias, segundo a especialista, passam pelo “controlo da pressão arterial, detecção e tratamento dos casos de fibrilhação auricular e promoção de um estilo de vida saudável”.

Maria Teresa Cardoso falava a propósito do 15º Congresso do Núcleo de Estudos da Doença Vascular Cerebral da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, que decorrerá sexta-feira e sábado, no Porto, e que terá como tema central a prevenção do acidente vascular cerebral (AVC) na mulher.

“O AVC na mulher terá especial destaque devido ao grande impacto negativo na mulher e na sociedade”, sublinhou a especialista.

Ao longo da vida, “a mulher tem um risco de AVC superior ao do homem. O predomínio do acidente vascular cerebral nas mulheres é explicável, em parte, pelo envelhecimento da população e pela maior esperança de vida. As mulheres têm mais probabilidade de enviuvar e viverem sós antes do AVC e, assim, de serem institucionalizadas após a doença, tendo uma pior recuperação relativamente aos homens”, explicou a especialista.

A coordenadora do NEDVC acrescentou que “a mortalidade por AVC na mulher acima dos 75 anos é também superior à do homem. Em suma, as mulheres são as mais afectadas, particularmente em idades avançadas. É fundamental ter consciência desta realidade e implementar estratégias preventivas adequadas, incidindo especialmente no controlo da pressão arterial, na detecção e tratamento dos casos de fibrilhação auricular e na promoção de um estilo de vida saudável”.

Um ponto alto deste congresso será a atribuição do prémio “AVC e Investigação Clínica”, que consiste num estágio de três meses numa instituição em Oxford, Inglaterra, e o prémio “AVC e Investigação Básica”, um estágio de três meses em Santiago de Compostela, Espanha.

A coordenadora do NEDVC considera que “estes incentivos à investigação são fundamentais para um conhecimento aprofundado das especificidades do AVC na população portuguesa para uma uniformização de atitudes diagnósticas terapêuticas e de prevenção adaptadas à nossa realidade, para que possamos prevenir este flagelo, diagnosticar cada vez com maior rapidez e tratar com a máxima eficácia este problema que continua a matar 35 portugueses por dia”.

“A fibrilhação auricular e o seu tratamento com os novos anticoagulantes orais, a craniectomia descompressiva, o controlo da pressão arterial, a dissecção arterial e ateromatose do arco aórtico” serão temas em debate no encontro que reunirá cerca de 500 participantes.

O programa inclui ainda cursos dirigidos a temas específicos como o Tratamento na fase aguda do AVC (trombólise), Treino de Avaliação de Imagem no AVC e Genética no AVC.

Published in Mundo
quinta-feira, 16 outubro 2014 15:57

Maria Teresa Cardoso: o AVC na mulher

[caption id="attachment_10495" align="alignnone" width="300"]CardosoDraTeresa Maria Teresa Cardoso - Especialista em Medicina Interna no Centro Hospitalar de São João; Coordenadora Núcleo de Estudos da Doença Vascular Cerebral da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna[/caption]


O acidente vascular cerebral (AVC) tem um grande impacto negativo na sociedade e sobretudo nas mulheres. De facto, ao longo da vida, a mulher tem um risco de AVC superior ao do homem. O predomínio do AVC nas mulheres é explicável, em parte, pelo envelhecimento da população e pela maior esperança de vida do sexo feminino. As mulheres têm mais probabilidade de enviuvar e viverem sós antes do AVC e, assim, de serem institucionalizadas após o AVC, tendo uma pior recuperação relativamente aos homens.

A mortalidade por AVC na mulher acima dos 75 anos é também superior à do homem. Em suma, as mulheres são as mais afectadas, particularmente em idades avançadas. É fundamental ter consciência desta realidade e implementar estratégias preventivas adequadas.

A pressão arterial (PA) elevada é o factor de risco modificável mais frequente e relevante para o AVC, e é também mais frequente e elevada na mulher após a menopausa, o que sugere um importante papel hormonal na sua regulação. Verifica-se também uma diminuição do controlo da PA com a idade, mais acentuado na mulher. A redução do sal na dieta traduz-se numa significativa diminuição na PA e o tratamento precoce e sustentado da PA é crítico, pois está associado a uma redução de 38% no risco de AVC em mulheres com mais de 55 anos.

Outro factor de risco major para o AVC é a fibrilação auricular (FA), uma arritmia muito frequente nos idosos, com predomínio nas mulheres e que está associada a um risco de AVC aumentado em 4 a 5 vezes, também mais elevado para as mulheres. Além disso, constata-se que a mulher com FA tem menos probabilidade de receber tratamento hipocoagulante em relação ao homem.

Tendo tudo isto em conta, é essencial procurar esta arritmia em indivíduos com mais de 75 anos, avaliando o pulso, fazendo eletrocardiograma ou outros métodos diagósticos mais específicos. O tratamento hipocoagulante no doente com FA reduz em 60% o risco de AVC estando agora disponíveis no mercado novos anticoagulantes orais.

Nunca é de mais realçar a importância do estilo de vida saudável na prevenção do AVC: actividade física regular, moderação do consumo de álcool (menos de 1 bebida por dia), abstenção do tabaco, dieta rica em frutos e vegetais, grão, baixa em gorduras saturadas e em sal.

Published in Opinião
Tagged under
#sejamestrelas
Editorial | António Luz Pereira
#sejamestrelas

Ciclicamente as capas dos jornais são preenchidas com o número de novos médicos. Por instantes todos prestam atenção aos números. Sim, para muitos são apenas números. Para nós, são colegas que se decidiram pelo compromisso com os utentes nas mais diversas áreas. Por isso, queremos deixar a todos, mas especialmente aqueles que abraçaram este ano a melhor especialidade do Mundo uma mensagem: “Sejam Estrelas”.

Mais lidas