Displaying items by tag: custos

A doença de Alzheimer tem custos anuais equivalentes a 1% do PIB, sendo responsável por cerca de 7% dos anos de vida perdidos por morte prematura, para pessoas com 65 ou mais anos, indica um estudo divulgado.

Published in Atualidade

O custo global com a doença aterosclerótica em Portugal foi, em 2016, de cerca de 1,9 mil milhões de euros, o que corresponde a aproximadamente 1% do PIB e a 11% das despesas totais de saúde, nesse ano, para Portugal.

Published in Atualidade

A Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) vai promover, no âmbito do 37.º Encontro Nacional de MGF, uma sessão online sobre “Custos e Carga da Doença Aterosclerótica”.

Published in Atualidade

O simples ato de vacinação pode reduzir o risco de hospitalização por pneumonia em 73%, conclui um estudo recente. Também os custos ligados ao internamento – cerca de 218 mil euros diários – tenderão a diminuir significativamente.

Published in Atualidade

No âmbito do Dia Mundial da Asma, que se assinala já amanhã, 1 de maio, a campanha “Vencer a Asma” quer sensibilizar para a importância da redução do número de casos subdiagnosticados em Portugal.

Published in Terapêutica

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) tinha, a 19 de fevereiro, 960 camas ocupadas com internamentos sociais, cujo custo estimado anual para o Estado é de quase 100 milhões de euros, de acordo com dados do 2.º Barómetro de Internamentos Sociais (BIS), divulgado pela Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH), no sábado.

Published in Atualidade
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.