segunda-feira, 06 fevereiro 2017 09:10

Lenine Cunha, a história de um atleta português

Viu o mundo pela primeira vez há 32 anos em Vila Nova de Gaia, mas a infeção por meningococos foi uma espécie de borracha que lhe apagou o percurso de vida até aos quatro anos de idade, deixando marcas profundas. Mais de três décadas depois, é a vez de o mundo inteiro o ver, medalhar e reconhecer pelo seu mérito enquanto homem e atleta. Hoje divide os seus dias entre os treinos intensos e as sessões de esclarecimento em escolas públicas e instituições de ensino especial um pouco por todo o país, onde não esconde as dificuldades trazidas pela doença. Chama-se Lenine Cunha e faz parte da campanha #WinForMeningitis ao lado de outros atletas marcados pela mesma doença.

Vacinação

A Câmara de Amares vai financiar integralmente a aquisição da vacina “Prevenar”, destinada a prevenir a meningite, para todas as crianças que residam no concelho, numa medida que pretende também ser um incentivo à natalidade, informou o município.

Em comunicado, a Câmara sublinha que tomou aquela decisão depois de constatar que “grande parte” dos recém-nascidos do concelho não tomava aquela vacina “por falta de rendimentos dos pais”.

“Tive conhecimento que grande parte dos nossos recém-nascidos não tomava a vacina por falta de rendimentos por parte dos pais e, por isso, aquilo que pretendo com mais esta medida de cariz social é dar respostas à população, permitindo que todas as crianças, sem excepção, possam usufruir da medicação adequada no combate à doença”, explicou o presidente da câmara, Manuel Moreira, citado no comunicado.

O valor a suportar pelo município corresponde ao total das três doses obrigatórias da vacina, independentemente do rendimento ou do património do agregado familiar.

O pedido de comparticipação deve ser apresentado pelos pais, ou por um representante legal, nos serviços do município, mediante requerimento próprio e com a devida receita da vacina a comparticipar, juntamente com um atestado de residência.

O pagamento da comparticipação será feito diretamente pelo município à farmácia fornecedora.

No comunicado, o município refere que a comparticipação da vacina se assume também como um incentivo à natalidade, já que esse é menos um encargo que os pais têm de suportar.

Published in Mundo
Pág. 2 de 2
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.