×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 34880
Daniel Pereira da Silva: “Novos medicamentos inovadores que respondem a necessidades especificas da mulher”
DATA
22/11/2021 09:36:02
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Daniel Pereira da Silva: “Novos medicamentos inovadores que respondem a necessidades especificas da mulher”

Em entrevista ao Jornal Médico, o Diretor Médico da Gedeon Richter, Daniel Pereira da Silva, comenta novos produtos da empresa direcionados à saúde da mulher, nomeadamente um contracetivo oral com menor impacto ambiental e menor riso de tromboembolismo, e uma associação de relugolix com estradiol e noretisterona, que demonstrou eficácia e segurança no tratamento de miomas uterinos sintomáticos.

Jornal Médico (JM) | O estudo “NEST-C — Novidades Epidemiológicas Sobre Tendências em Contraceção” revelou que mais de metade das mulheres irá provavelmente pedir ao seu médico para prescrever uma pílula com um menor efeito nos ecossistemas naturais. De que modo é que o novo contracetivo oral combinado Drovelis poderá ir de encontro a estas preocupações ambientais?

Daniel Pereira da Silva (DPS) | As preocupações ambientais estão cada vez mais presentes na nossa consciência social. Somos confrontados a cada momento com o impacto negativo nos ecossistemas de atitudes pouco esclarecidas, que temos tido ao longo de muitos anos.

Esse é o caso do uso de medicamentos, que são compostos químicos, que após a sua metabolização no nosso organismo, são eliminados, sob a forma de produtos ativos, através dos produtos biológicos (urina, fezes, etc). Esses resíduos acumulam-se nos meios aquáticos e outros meios, e são depois consumidos por seres vivos, peixes e outras espécies, o que coloca o equilíbrio desses ecossistemas em causa e mesmo a sobrevivência de algumas espécies.

A questão dos metais pesados é bem conhecida, o consumo e eliminação de hormonas metabolicamente ativas não é tão difundida e é igualmente importante. Basta refletirmos sobre os milhões e milhões de mulheres que usam contracetivos hormonais em todo o mundo. Os estrogénios usados nessas preparações fazem com que diariamente se eliminem para o meio ambiente quantidades enormes de moléculas com atividade metabólica, que se acumulam nos meios freáticos e perturbam a reprodução de algumas espécies de peixes e podem ter outros impactos, como é expectável.

O uso de hormonas que não libertem produtos de degradação metabolicamente ativos é muito importante, como é o caso do Estetrol, que faz parte da composição de Drovelis. É mais um passo na evolução que se pretende com o objetivo de sermos o mais neutros possível para o meio ambiente.

 

JM | Quanto ao impacto combinado que a drospirenona e o estetrol têm no metabolismo das mulheres, quais as vantagens que esta combinação apresenta, nomeadamente em comparação com contracetivos contendo etinilestradiol?

DPS | Nos estudos realizados sobre Drovelis compararam-se pilulas com o mesmo progestativo, mas com moléculas estrogénicas diferentes, concretamente umas tinham etinilestradiol e outras estetrol. Verificou-se que as pilulas com estetrol têm um impacto significativamente mais favorável nos metabolismos lipídicos e hormonais, e o mesmo acontece nos fatores de coagulação. Esses estudos demonstram que a diferença mais significativa no impacto no fígado das pilulas está na molécula estrogénica e que o estetrol tem um impacto significativamente menos marcado que o etinilestradiol.

Esses achados conferem às pilulas com estetrol um potencial de risco de tromboembolismo mais favorável que as pilulas com etinilestradiol.

JM | Os miomas uterinos sintomáticos afetam uma larga proporção de mulheres em idade reprodutora, que necessitam de opções terapêuticas que preservem a fertilidade. De que modo é que o novo tratamento Ryeqo pode ajudar estas mulheres?

DPS | Os miomas podem causar hemorragias com abundância variável, dores e perda da qualidade de vida, e podem mesmo interferir com o processo reprodutivo. A incidência de miomas aumenta com a idade e pode atingir cerca de 50% das mulheres com cerca de 40 anos. Acresce que todos sabemos que a idade da primeira gravidez é cada vez mais tardia.  Por essa razão os miomas têm uma importância acrescida com fator de infertilidade.

Os médicos, e as mulheres ainda mais, desejam desde há muito tempo um tratamento médico eficaz e seguro para os miomas. O tratamento clássico é a cirurgia, mas nós ansiamos por um tratamento médico, do género do que aconteceu com os fármacos para a úlcera péptica.

Ryeqo é mais um passo nesse sentido. Tem eficácia elevada no controlo das perdas sanguíneas e da dor, e melhora significativamente a qualidade de vida das mulheres sintomáticas. Permite controlar os sintomas com eficácia e segurança, o que tem vantagens significativas, tornando a cirurgia mais eletiva, para casos em que se torna imperiosa, o que pode permitir realizar tratamentos mais conservadores, mantendo o útero e optimizando as condições para que a mulher engravide quando entender.

JM | Que comentários tece relativamente ao perfil de segurança de Ryeqo, nomeadamente no que diz respeito aos sintomas hipoestrogénicos, como a perda de densidade mineral óssea?

DPS | Ryeqo contém relugolix, um antagonista da GnRH. A ação desta molécula provoca uma pseudomenopausa, com uma frenação significativa na produção endógena de estrogénios. O hipoestrogenismo induzido não é tolerável pelas mulheres, atendendo que levam ao aparecimento de afrontamentos intensos e redução da qualidade de vida, o que faz que não aceitem fazer o tratamento com a duração conveniente. Acresce que a baixa de estrogénios prejudica muito a saúde óssea, acelera a descalcificação e aumento do risco de osteoporose. Por essas razões Ryeqo associa, ao relugolix, o estradiol em dose baixa, mas suficiente para controlar os sintomas vasomotores e manter a saúde óssea. Da composição de Ryeqo faz parte, ainda, a noretisterona, um progestativo que protege o endométrio da ação do estradiol.

A associação de Relugolix com o estradiol e a noretisterona, permite assim atingir um equílibrio entre a eficácia do medicamento no controlo das hemorragias anormais associadas ao miomas e a segurança e aceitabilidade por parte da mulher.

JM | 120 anos a inovar na Saúde da Mulher. Como antecipa o futuro da Gedeon Richter?

DPS | 120 anos é um período de vida notável para uma empresa. A visão do Sr Richter, um farmacêutico visionário, manteve-se ao longo de mais de um século. Em 1919 foi comercializado o primeiro medicamento e em 2021 a companhia colocou no mercado novos medicamentos inovadores que respondem a necessidades especificas da mulher, sempre com a preocupação de os tornar também acessíveis.

Esses valores, esses objetivos estão fortemente enraizados na matriz da empresa, que tem já preparados novos lançamentos que configuram oportunidades de avanço e melhoria na área da saúde da mulher. Em Portugal a companhia tem 10 anos e são de 10 anos de parceria com os ginecologistas, na procura de respostas em prol da saúde da mulher, com sentido ético e respeito pela absoluta independência dos profissionais de saúde. Para além da nossa missão de produção e comercialização de medicamentos que façam a diferença, procuramos apoiar projetos de índole científica e de formação que interessem à especialidade.

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas